sexta-feira, 8 de abril de 2011

O "Pote" para uns e Prozac para os outros


Pedro Passos Coelho, diz que o pedido de assistência financeira externa, hoje anunciado pelo primeiro-ministro, se faz para que os portugueses vivam com "menos angústia e com menos incerteza"

Hoje ningúem dúvida que o ambiente no seu partido deve estar hoje mais desanuviado e confiante no (seu) futuro. A entourage de PPC respira de alívio ao ver que sua liderança está bastante menos perclitante que há duas semanas atrás. O País, esse que se afoite porque vai ter finalmente aquilo que merece!

3 comentários:

cefaria disse...

Um político que se preze não fala numa perspectiva de curto prazo, mas sim de longo prazo.
já sobrevivi a duas vindas do FMI, a pedido de Mário Soares, quando PS era liderado por alguém com caracter, foi duro de roer, mas a longo prazo deu para se viver melhor, isto até Sócrates acabar por estourar os últimos frutos dessa ajuda que nos tinham permitido viver com menos angústia e incerteza.

Planetas - Bruno disse...

Diga isso aos milhares que vão ficar sem emprego, sem casas e se subsídios. Diga que afinal os de fora é que sabem aquilo que é bom para nós enquanto País. Menos Educação, Saúde, Protecção Social, mais Privatizações, Impostos e afins. A fórmula é sobejamente conhecida, a factura cai sempre sobre os mesmos e desta vez até vem em alemão!
Temos mais certeza de que tudo vai piorar e menos angustia porque vai ser trocada pelo desespero!

A. João Soares disse...

Páscoa Feliz

Convido a visitar os posts

Risco de «retrocesso civilizacional»

Risco de motim não deve ser negligenciado

Cumprimentos
João
Sempre Jovens