terça-feira, 28 de abril de 2009

A boa moeda na política

Instrumentalizar Abril
"Este Governo já foi acusado de muita coisa, justa e injustamente. Mas nunca tinha sido acusado de fazer perigar o regime democrático. Num discurso na Assembleia da República no dia 25 de Abril, o cabeça de lista para as eleições europeias do PSD Paulo Rangel veio, a pretexto do crescimento da dívida pública, acusar o Governo de "renegar às gerações futuras... o bem da liberdade" que Abril conquistou. E como é que o Governo do PS estria a querer minar a democracia portuguesa? Roubando"a liberdade de escolha às gerações futuras" com o seu "programa de grandes obras públicas" porque este deixaria "uma dívida monstruosa".Vamos a ver se percebemos: estamos em crise. A receita baixa. A despesa sobe, nomeadamente em consequência das medidas de protecção social aos desempregados e outras para combater a crise. Até há alguma margem de manobra, já que o Governo do PS conseguiu diminuir consideravelmente o défice orçamental - esse sim, monstruoso - deixado pelos Governos PSD: Portas/Santana/Durão. O Governo aproveita essa margem e prevê o aumento do endividamento para estimular a economia. Nesta altura, quais são os Governos nos países ocidentais (e não só) que não se endividam para atacar a crise? Mas explicar isto às pessoas complica e densifica a mensagem. E o PSD não acredita em mensagens complexas. Em conteúdos. Tem os eleitores em pouca conta.Mais. Como o PSD do Dr. Rangel sempre defendeu precisamente as políticas económicas neo-liberais que mergulharam na crise Portugal e o mundo, é preciso lata para agora atacar o Governo do PS, quando este toma decisões difíceis - e necessárias - para tentar amortecer a queda e relançar a economia. É triste ouvir o Dr. Rangel instrumentalizar o 25 de Abril para fins eleitoralistas. Será pouco apego às liberdades que declara estarem em perigo, ou pouco respeito pela Revolução que as implantou?"
.
Não poucos reclamávamos que Ana Gomes fazia falta na política nacional. Sendo certo que foi muito o que contribuiu no Parlamento Europeu, não é menos verdade que a sua determinação e clareza representa hoje uma clara mais valia, não apenas para o PS, contra quem se manifesta, não poucas vezes (Voos da CIA), mas sobretudo para o País em geral. Estou seguro que o debate politico será mais elevado e transparente com a participação de Ana Gomes nas Autárquicas.

1 comentário:

Carlos Santos disse...

Caro,

Devo confessar que não conhecia o espaço, mas os meus sinceros parabéns. É uma valência de enorme qualidade que recomendarei ainda esta noite.
Queria sugerir-lhe também uma coisa. Gostava que lesse o que deixei aqui escrito na madrugada de 26 de ABril:
http://ovalordasideias.blogspot.com/2009/04/houve-ontem-quem-louvasse-o-regresso-da.html
Pode parecer que estou a fazer spam ou publicidade barata. Não é o caso. Se quiser apague o comentário, mas importante seria que lesse o que descrevi. Porque sucedeu de facto: e resume-se a no dia 25, 35 anos após a revolução um militante partidário da direita portuguesa ter aconselhado abertamente no facebook a leitura de uma reflexão sobre as vantagens do regresso da tortura como método de interrogação policial em Portugal. Isto repugnou-me como socialista e homem de esquerda. Mas bolas, até já repugnou blogues de direita. Porque é atentatório dos direitos humanos mais básicos. A nossa contribuição, de quiser participar passa não por comentar o post (é bem vindo se quiser) mas as caixas de comentários são fechadas. Passa por uma rede crescente de blogues referenciarem o que ouvi (li em bom rigor naquele dia). Eu acho perigoso que estas ideias andem por aí...podem estar longe mas o simples facto de elas serem defendidas por um tipo do PSD (que apesar de tudo não é o PNR) merece o meu repúdio. Se partilhar desta opinião, por favor use este excelente blogue para difundir esta mensagem.
Obrigado.
Um abraço
Carlos Santos