sábado, 13 de setembro de 2008

Obama e Mccain reagem à expulsão de embaixadores


Obama afirmou que a expulsão dos embaixadores dos EUA na Venezuela, Patrick Duddy, e na Bolívia, Philip Goldberg, é um "confronto fabricado" do Governo de Caracas. Em sua opinião, o Governo de Chávez procura desviar a atenção de "sua crescente incapacidade para cumprir as necessidades básicas de seu povo, sua rejeição das normas democráticas fundamentais". Isso incluiria "a exclusão de candidatos da oposição das próximas eleições, assim como crescentes preocupações sobre o apoio ao narcotráfico por parte de funcionários" desse país, acrescentou. A campanha de Obama disse que este "deixou claro que, como presidente, colocará fim à era de má gestão e abandono de (o chefe de Estado americano, George W.) Bush e preencherá o vazio que o presidente Chávez tenta preencher com uma agenda antiamericana" (EFE).

Por sua parte, McCain também condenou as ações de Chávez e Morales e afirmou que esta escalada das tensões diplomáticas é uma lembrança "das tendências perigosas" neste continente.O "regime autoritário" do presidente Chávez "reprime seu povo e tenta comprar o apoio na Bolívia e em outras partes. A ameaça que Chávez representa se estende além de suas fronteiras", afirmou McCain.O senador republicano do Arizona lembrou que, contra Chávez, pesam acusações "cíveis" de ajuda a terroristas que tentam desestabilizar seu vizinho democrático, Colômbia.Segundo McCain, funcionários venezuelanos de alta categoria nas Forças Armadas e os serviços de inteligência foram apontados por dar apoio a "atividades narcoterroristas" (EFE).

2 comentários:

Miguel Ferreira disse...

Os E.U.A. terão de deixar para trás a postura altiva, tipica de quando lidam com os seus vizinhos "pobres". Sob pena de perder ainda mais influência para um Chávez que de burro não tem nada, isto para além de um bolso cheio de petroleo.
Obama sim, respondeu bem... Falta é ver a capacidade de "preencher o vazio"... Cercar a rede de influência de Chávez seria um começo, ao invés de levar a cabo uma posição de confronto directo.

António de Almeida disse...

-Ambos os candidatos responderam como seria de esperar, sem falhas. Não me parece ser por aqui que se cometam erros.